Destaques

“Perguntas proibidas”

 

Já dizia a expressão, “quem com ferro fere, com ferro será ferido”. Era um grande momento: primeiro dia de trabalho. Bruna estava sendo apresentada à sua nova chefe quando perguntou, “Você está grávida?”. Histórias assim se repetem continuamente com quem tem uma incontrolável vontade de falar tudo o que pensa e para tanto faz perguntas inconvenientes que costumam constranger suas vítimas. É claro que a história não terminou bem e a Bruna teve que buscar outras formas de ganhar pontos com a sua chefe, então resolvemos listar algumas perguntas proibidas que devem ser evitadas para o seu bem e de todos que convivem com você.

 

“Estou achando você meio abatido… Aconteceu alguma coisa?” Está na cara que alguma coisa de errado aconteceu, faça um elogio para levantar o astral ao invés de remexer a ferida.
2. “É seu filho? Não, namorado novo… ou filha… namorada nova…” Os cumprimente educadamente, mas não se comprometa com perguntas muito invasivas.
3. “Você está ótima fez plástica?” Sem comentários… Ainda mais se você não tem intimidade com quem está perguntando, simplesmente morra de inveja.
4. “Quanto você ganha?” Só falta pedir para ver o extrato bancário… Totalmente deselegante, assim como quanto você gastou, quanto investiu, quanto você paga… E por aí vai… Dinheiro é um assunto muito delicado.
5. “Quantos anos você tem?” Até os 20 anos todo mundo deveria parar de contar os aniversários… Ao invés de perguntar a idade que tal um elogio que caia bem a situação. Aliás pra que saber a idade?
6. “Quando vocês vão casar?” Eita! Aí piorou ainda mais se é aquele casal que há anos namora e nada… Melhor evitar.
7. “Quando vem o neném?” E nem pense em continuar com as variações: quando vem o segundo… o terceiro… o quarto…
8. “Você engordou?” Nem ouse dizer isso mesmo que tenha certeza que a pessoa tenha engordado.
9. “Você ainda está desempregado?” Só falta entregar os classificados…

evidence

Evitando essas perguntinhas, nos tornamos pessoas muito mais agradáveis. Afinal, a vida precisa ser mais leve e por que ao invés de fazermos perguntas comprometedoras e invasivas não fazemos elogios e comentários que realmente contribuam para a conversa?