Destaques

Uma mulher, dez cachorros e um sonho: ser feliz

Paula Ricardina Farias Ramos tem 18 anos, é casada, não tem filhos e mora na invasão próxima ao Hospital Regional de Taguatinga

Paula Ricardina Farias Ramos tem 18 anos, é casada, não tem filhos e mora na invasão próxima ao Hospital Regional de Taguatinga

Vivemos num mundo onde tanto cultivamos a cultura do ter, esquecendo-nos de que as vezes é importante olharmos para o ser. A escolhida para iniciar esse novo espaço da Revista Evidence é realmente de alguém que se preocupa em ser diferente, e principalmente, em conduzir o seu comportamento voltado para o outro, ainda que este outro seja, para muitos, alvo de críticas e mau tratos: os cães.

É uma história muito comovente de alguém que tem uma missão e muito para ensinar, e não é por estar à margem da sociedade, que não merece estar em evidência. Assim falar de Paula, ou Paulinha, como é conhecida na região onde fica, é falar de alguém com um enorme coração. Vamos conhecer a história desta “pequena grande” mulher?

 

Papo
Há quanto tempo você cuida de cães?

Desde criança.

O que mais atrai você nos animais?

A alegria deles, pois tem dias que somente eles, para me fazer sorrir.

Quantos cães convivem com você?

Dez no total hoje estão somente oito comigo.

Tem raça?

Não, todos mestiços e de tamanhos diferentes.

E como você faz para interagir com eles?

Todos têm nome, lá vai: Pretinha, Preta, Preto, Pitita, Amarelão, Gigante, Leãozinho, Amarelinho, são os que estão aqui.

Que tipo de ajuda você precisa para seus cães?

Vacinas, ração (Bonguy – pacote azul) – pois é a que eles estão acostumados, remédios, podem ser usados, serviços de veterinária.

Hoje como você faz para alimentar esses animais?

Vivo da ajuda de algumas tias, como a tia Leilimar, das esmolas que ganho nos sinais e na rua das farmácias aqui em Taguatinga, da venda das latinhas que apanho e quando aperta divido meu marmitex que ganho dos restaurantes com eles, um pouquinho para cada um para dar para todo mundo.

O que significa esses cães para você?

Eles são a razão do meu viver.

E se eu te perguntasse, qual seria o seu maior sonho?

Arrumar um emprego e sair das ruas.

Seria bom um emprego em que você trabalhasse com animais?

Muito bom, mas eu preciso do primeiro que aparecer, é para ajudar com as despesas deles.